Cinco formas de amar

Criar filhos emocionalmente saudáveis e felizes é o sonho de toda mãe. Aprendemos que o amor incondicional é capaz de evitar problemas como culpa, medo, insegurança e a sensação de não ser amado. Na teoria parece ser algo simples, mas na prática o sentimento que temos é que nem sempre, o amor será suficiente para discipliná-los a crescer e a agir de forma correta.

Nesta empreitada, a literatura é uma excelente fonte de aprendizado e inspiração. O meu “queridinho” da vez é o best-seller “As cinco linguagens do amor das crianças” do americano Gary Chapman e Ross Campbell.

A obra também concorda que amor incondicional ajuda a criar filhos emocionalmente seguros. Mas, antes é preciso entender que cada criança é única e tem suas particularidades no método de aprendizado, no tempo de desenvolvimento e até mesmo na forma de demonstrar e receber amor.

O livro aborda que todos nós expressamos o amor e o experimentamos de cinco maneiras: toque físico, palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes e atos de serviços. Todas essas linguagens são essenciais no desenvolvimento dos pequenos, mas tem uma que se sobressai, tornando-se a principal linguagem de amor. O desafio é identificar como seu filho demonstra ou pede por amor. A experiência pode ser incrível ao longo desta descoberta.

Toque físico

Trocar abraços e beijos são a maneira mais comum de falar essa linguagem, mas ela inclui qualquer tipo de contato corporal como brincar de luta no chão, andar de cavalinho ou simplesmente pegá-lo no colo. Gestos singelos como esses transmitem a criança “Eu amo você”.

Um abraço afetuoso transmite amor a qualquer criança, mas especialmente para as crianças deste grupo pode ser uma explosão de amor. Não demorei a descobrir que o toque físico é a principal linguagem de amor do meu filho.

Por outro lado, a criança que tem o toque como linguagem primária de afeto, se utilizar o contato corporal como expressão de raiva, o magoará profundamente.

Palavras de afirmação

A palavra é uma poderosa forma de expressar o amor e verbalizamos nossos sentimentos o tempo todo, com palavras de afeto e carinho, de elogio e encorajamento e de orientação. Todas elas comunicam a mesma mensagem: “Eu me importo com você”. Quando é transmitida da maneira correta os benefícios podem durar a vida inteira.

Para quem tem nas palavras sua principal linguagem de amor, é preciso tomar cuidado com declarações severas e críticas. Elas podem ser devastadoras afetando a autoestima da criança e lançar dúvidas sobre sua capacidade. As palavras que ferem não podem ser apagadas, mas podem ser amenizadas com um pedido de desculpas.  A comunicação positiva torna o relacionamento com seu filho bem sucedido. Aqui em casa, as palavras de encorajamento e incentivo não podem faltar na finalização de cada tarefa.

Tempo de qualidade

Uma criança que sempre diz: “Mãe, olha o que estou fazendo”; “Vem aqui, quero te mostrar uma coisa”; Ou pede: “brinca comigo”, pode estar revelando que sua principal linguagem de amor é tempo de qualidade. Isto significa que seu filho necessita de atenção concentrada e exclusiva e quando a tem recebe a seguinte mensagem: “Você é importante”; “Gosto de estar com você”. Esse tempo faz com que a criança se sinta a pessoa mais importante na vida dos pais. É claro que é mais fácil proporcionar toque físico e palavras de afirmação do que tempo de qualidade. Mas, encontrar tempo para estar com seu filho é essencial. Quando o temos, o conhecemos melhor e proporcionamos memórias saudáveis e motivadoras que irão ajudá-lo a garantir equilíbrio, estabilidade e felicidade para a vida toda.

Presentes

O ato de dar e receber presentes é uma forma de expressar afeto. Uma criança que tem a linguagem primária do amor demonstrada por meio de presentes enxerga no objeto o quanto são amadas.

O encanto de presentear tem pouco a ver com o tamanho ou preço do presente. Mas, com o fato de ser lembrado. Um presente verdadeiro não é pagamento por serviços prestados, ao contrário, é uma expressão de amor ofertado. Lembro-me da emoção e da euforia que senti ao ser presenteada pela minha avó, com o disco da ‘Xuxa– Sexto Sentido’.  Como não era nenhuma data comemorativa, não esperava receber nada, mas o simples gesto de ter sido lembrada por ela, ficou marcado com um gesto de amor.

Os presentes não devem substituir outras linguagens de amor. Por isso, temos que tomar cuidado com os exageros.  Com tal excesso, os presentes perdem a sua singularidade.

Atos de serviço

A linguagem de amor por meio de atos de serviço é aquela criança que se sente valorizada quando a mãe faz um bolo com o seu sabor preferido ou a ajuda a fazer o dever de casa. Para essas crianças, servir é um ato amoroso. Isso não significa que precisamos atender todos os seus pedidos, mas é necessário avaliá-los de forma amorosa. A melhor coisa que se pode oferecer é ensiná-lo uma nova tarefa, explicando o passo a passo, e ensinando-o a ser mais capaz. 

A descoberta da linguagem do amor do seu filho é um processo que leva tempo. Mas, não pense que os problemas irão desaparecer ao descobri-la. Mas, ele se beneficiará deste amor, crescendo, se fortalecendo e amadurecendo, assim como as plantas ao serem regadas paulatinamente.

Deixe uma resposta